Com tempo

\\ Texto Maria Cruz
\\ Fotografia Manuel Teixeira

A natureza é um encanto. O aroma a liberdade e ar puro, no meio das fragilidades do mundo. Consegue-se sentir paz e harmonia neste lugar. De frente para nós, ali está ela, com seu cabelo preso, envolvido num lenço, e seu vestido de tecidos africanos. Sorriu. Ficou registado. Ainda houve tempo para mais uma, e mais uma, e todas as que quiséssemos. Ela posava para nós. Preservámos. A mulher, a flor mais sublime que a natureza pode ter. É de uma simplicidade e singularidade únicas. Ilumina, de quando em vez. Ali, no meio da essência da vida natural, todos sentem o reflexo das energias da terra. Olhámos em redor e tudo ‘padece’ de uma beleza incalculável. Ao fundo, no penedo, caem leves águas. As árvores estão enormes, deixam-nos respirar ar puro e elevar a alma aos céus. Fechámos os olhos. Descontraímos. Mentalmente absorvemos as energias positivas da floresta. Um espaço sem fim. 

PARTILHAR O ARTIGO \\