O golfe e o exercício

\\ Texto Redação
\\ Fotografia Direitos Reservados

O golfe, considerado uma atividade de baixa intensidade, caracteriza-se, porém, por uma elevada exigência física. Jogadores amadores atingem, por vezes, 90% de pico de atividade muscular; no swing, a cabeça do taco pode mover-se a uma velocidade de 160km/h; um jogador chega a efetuar 40 tacadas por jogo, e um torneio chega a durar quatro horas. Perante estes exemplos, conclui-se que o golfe é um desporto, fisicamente, exigente, embora contemple a beleza de ser praticado por qualquer faixa etária.

A prática deste desporto requer certas valências, tais como flexibilidade, coordenação, equilíbrio, concentração, estabilidade, potência, capacidade cardiovascular e resistência. A falta de desenvolvimento e de estimulação destas capacidades leva a uma propensão para lesões, advindas de movimentos repetitivos, má postura e limitação/desequilíbrio muscular, culminando em baixos rendimentos e fracos resultados.

O sucesso de um golfista depende do trabalho conjunto entre o binómio «preparação física/preparação técnica». O trabalho em ginásio é fulcral, pois promove uma maior sustentação muscular, amplia a potência e melhora a resistência. A performance aumenta, fruto de uma interligação entre cadeias de movimento bem-sucedida, logo, de uma maior prevenção de lesões.

O programa Wellgolfe do Well Domus foi planeado, precisamente, para prevenir lesões e colmatar erros cometidos, no âmbito da prática do golfe. Baseia-se numa avaliação física específica e na prescrição de exercícios direcionados para as especificidades do desporto. Os músculos são preparados, através da execução de movimentos, tendo em conta a biomecânica do golfe e alongados quando, após o treino/torneio, se encontram em tensão. Este plano é enriquecido pela visualização e análise de vídeos da técnica swing.

As falhas mais comuns estão relacionadas com a falta de flexibilidade e com o enfraquecimento da musculatura, originando lesões que incidem no pulso, na lombar, no ombro, no joelho, na cervical, no pé, no tornozelo e na anca.

Os benefícios do programa pautam-se pelo aperfeiçoamento do nível de jogo (performance) e pelo desenvolvimento da capacitação física, adequada aos resultados esperados (diminuição do stress; melhoria da condição física, postura e simetria; prevenção de lesões; alívio das dores musculares).

Mais info em: www.welldomus.pt

PARTILHAR O ARTIGO \\