Baía Farta

Grama prateada


\\ Fotografia Daniel Camacho

O vento sopra-lhe. Baloiça serenamente. Amedronta-se. Zaranza nas savanas africanas. A Grama, uma erva cujo toque nos acaricia a pele. Sentimo-la como nossa. A sua cor prateada, em sua textura, se pronuncia. Olhamo-la como se ela nos falasse. Tocamos-lhe como se ela nos abraçasse. E abraça! Quando corremos planícies fora. Esta erva enaltece as paisagens da savana do Lodge Kapembawé, na Baía Farta. Olhando-a parece-nos haver um infinito, para além do horizonte. E há! Há as mais variadas espécies animais que ali coabitam e nela se escondem. E há todo um sentido de descoberta por revelar.

PARTILHAR O ARTIGO \\